Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘elfo’

    Eu estava frente a ela, em seu leito de morte. Eu só passei apenas 50 anos da minha vida do lado dela. Como posso amar alguém tanto assim? Eu, em meus muitos anos de idade, para mim, 50 anos é apenas um instante. O meu sofrimento agora é supremo. Este é o custo de gostar de uma humana. Os humanos tem uma vida muito curta. Só os animais costumam ter uma vida curta assim. Seres que nascem como eu, não tem esse privilégio, de conhecer novos caminhos e novos destinos mais cedo.

    “Valhandenor, meu lindo elfo, me perdoe pela minha curta vida. Os 50 anos que eu passei com você, foram maravilhosos. E eu sei que você viverá por muito tempo ainda, afinal, sua herança de deuses permitem isso. Permita me dizer que eu ainda quero que você ainda viva muito e que passe pela vida em atos dignos, como você é uma pessoa digna.”

    “Aline, meu amor, eu peço perdão pela minha origem não permitir que eu esteja com você tão cedo assim. Eu peço perdão pelos anos de solitude que você vai sentir. Eu não posso ir embora assim, fácil, não interessa o meu sentimento.”

    “Não tem problema meu amor, os elfos tem uma vida longa, mas assim como acontece com humanos, um dia eu verei você novamente.”

    “Amor, eu preciso contar algo a você. Você me ama, eu sei que irá me entender.”

    “Um segredo? Entre a gente? Eu pensei que nesses 50 anos já tínhamos falado tudo um do outro.”

    “Tem certos segredos que mesmo 50 anos não são capazes de resolver. Aliás 50 anos é pouco tempo.”

    “Eu vou entender você, não se preocupa.”

    E naquele instante eu senti fé. Amar é um sentimento muito raro, sentir fé é privilégio de humanos. Um ser como eu não pode ter fé. A fé não é sustentável por cerca de 500 anos. Não existe fé que dura esse tempo. Mesmo assim, ali estava eu, sentindo a fé naquela mulher, que ela iria me entender. Quem sabe…

    “O meu nome não é Valhandenor, o meu nome real é Valhandenorterimasarilennemastir, na linguagem do meu povo ‘Aquele Que É Perceptivo’, e a minha idade real é de 1254 anos.”

    “Mas isso… isso não é elfo… isso é draco… o que?? não, não é verdade! Me diga! Qual sua origem?”

    “Sim, eu sou um dragão. Um dragão que passou 54 anos metamorfoseado em elfo, sem um instante ter voltado a minha real forma.”

     E o ódio passou a consumi-la.

    “Não, eu não acredito! Você é um devorador-de-humanos, eu pensei que essas coisas estivessem extintas, você é um ser que…”

    E naquele instante, com ódio, ela morreu. Ódio por mim, ódio por minha existência.

    “Me desculpa… Me desculpa por não ter nascido de outra origem… Eu faria de tudo para ter nascido de outra maneira, mas mesmo minha magia mais forte não consegue reverter isso…”

    Os humanos acreditavam que minha raça inteira estava extinta. O que aconteceu na verdade é que os dragões migraram para outros países. E mesmo em outros locais ainda há muitos dragões, mesmo que os humanos desse reino não saibam direito. A minha raça é odiada pelos humanos, e por 500 anos nos caçaram. E apenas 500 anos, foi o suficiente para humanos, com sua incrível capacidade de mutar a si próprio, para nos aniquilarem dentro desse país.

    Sobre a última guerra entre humanos e dragões… Foram cerca de 25 000 homens e cerca de 20 dragões. 20 dragões unidos é algo que não acontece, assim como 25 000 soldados. Éramos dragões comuns, não treinados para o combate. A não ser eu mesmo, que era conhecido como ‘O Exército de Um Único Dragão’ pelo meu povo, devido ao meu conhecimento nas artes da guerra.

Todos os meus 19 companheiros pereceram. E mesmo assim vencemos a batalha, mesmo que perdemos a guerra. Não houve sobreviventes. Afinal, eu, cruel do jeito que era no passado, aniquilei os 700 soldados que pediram rendição.

    E a partir desse dia, eu passei a viver em meio a humanos, por que da minha raça, mais nenhum estava presente nesse país. Mas passei pelo primeiro instante por busca de vingança. Longa, fria e paciente. Na forma de elfo, para não chamar atenção. Afinal, elfos, não interessa a idade, mantém a mesma aparência.

    Porém o destino mudou e algo me aconteceu para querer ser humano.

                                                                                     Conto by Anjo Mórbido

Read Full Post »